segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

tempos


é preciso um tempo de esteio
para o peixe cravejado na pedra

é preciso um tempo de veio
para o espeleotema gotejado na gruta

é preciso um tempo de cerne
para o magma assentado na terra

é preciso um tempo de luz
para o relâmpago tracejado no infinito

é preciso um tempo de espera
para o plexo que expele a vida

é preciso um tempo de feixe
para a partícula que concede o caos

é preciso um tempo de ausência
para o acaso do mundo

gê césar de paula
o poema "tempos" foi publicado em primeira mão pela revista Cult edição 176 de fevereiro de 2013, capa abaixo.

3 comentários:

Lodovico Settembrini disse...

Belíssimo. Parabéns pela publicação!

Gê Cesar de Paula disse...

Obrigado Lodovico e seja bem-vindo e este empório.

Eliana Tatit Sapienza disse...

Presentes: o tempo e o poema